Call of Duty: Black Ops

Treyarch faz bonito, mas não consegue inovar

Call of Duty: Black Ops Analise: Call of Duty: Black Ops

FIFA 11

Muita comparação e pouca superação

Analise: FIFA 11 Analise: FIFA 11

Need for Speed: Hot Pursuit

Need For Speed: Hot Pursuit praticamente repete o jogo, mas não o sucesso

Analise: Need for Speed: Hot Pursuit Titulo da Imagem

Analise: Prototype - PC




Genero: Ação

Distribuidora: Activision

Desenvolvedora: Sierra Entertainment

Plataformas: PC/X360/PS3

Lançamento: 09 de junho de 2009

Tempo para vicio: 25 minutos








 Prós 

Prototype com certeza chama atenção por varios itens, diversão, liberdade, poder, controle, enfim, o jogo te faz parecer o maximo na cidade, você é capaz de desafiar qualquer coisa, exercitos com tanques de combate e helicópteros não são pários pra você, você desafia até a gravidade! O jogo com certeza faz você se sentir o todo poderoso, com certeza, é diversão quase sem limites;



 Contras 

A Activision deixou quase que claro que o que importava no jogo era a diversão, os gráficos não são comparáveis aos jogos que vimos se destacar nessa area - Mirror's Edge ou até mesmo, GTA IV -, alem disso, você não é capaz de entrar em carros comuns, somente em veiculos especiais, que você é capaz de invadir com o tempo. 





 Prototype foi o jogo da Activision que veio com a promessa de inovar em varios quesitos, o jogo inclusive foi adiado por pelo menos duas vezes para melhoras consideraveis no jogo e para evitar uma competição; Com o lançamento para as plataformas de ultima geração, como que ficou o game? Realmente é inovador?


 Inovação? Sim! 



Um dos jogos que talvez, seja um dos poucos a não ter um concorrente forte multi-plataforma, os jogadores que se impressionaram com Prototype pelo trailer, infelizmente não vai encontrar muita opção neste estilo, temos para Play Station 3, o exclusivo da Sony, "InFAMOUS", com certeza é o unico jogo que faz frente com muitos itens de Prototype, na verdade, o unico jogo que o pode superar, já que quase o mesmo ambiente lhe é proporcinado, então, podemos dizer que há muita inovação? Sim, podemos dizer.





Com certeza, um dos grandes chamativos de Prototype está em sua liberdade, e também claro, no poder do seu personagem, podemos quase que dizer que é um GTA, porem com poderes anormais.

Seu personagem acorda sem lembrança nenhuma, durante o jogo, ele corre atrás de quem foi que fez aquilo com ele, já que o personagem acha muito estranho o fato de do nada ter poderes - quem não estranharia? -, porem, depois o jogador acaba descobrindo que o caos está em toda parte, já que parte da cidade também está infectada. Apesar disso, seu personagem com certeza é o mais forte e mais rápido de tudo que pode aparecer...


 Mas afinal, qual o diferencial?



Ao primeiro contato, uma "comparação" com GTA é totalmente compriensivel, apesar de não ter os gráficos da ultima versão do GTA - GTA IV - o jogo é bastante similar em alguns itens, como o fato do jogador ter uma cidade inteira pra fazer o que quiser, e também o fato de ter um nivel de procura, diferente do GTA claro, já que as circunstancias são diferentes, porem, não deixa de lembrar.

Com certeza todo o diferencial de Prototype está em Alex Mercer, personagem principal do jogo. O mesmo, tem poderes sub-humanos, super velocidade, super-força e saltos insanos são uma das características chamativas do jogo. Com isso, é possível o jogador correr pela cidade livremente, já que nem um prédio é um obstaculo para Mercer, já que o mesmo é capaz de subir correndo facilmente pelo prédio, como se estivesse correndo pelo quintal de casa; Na verdade, são poucas coisas capazes de atrapalhar Mercer quando o mesmo está correndo, normalmente, ele leva pessoas e destrói muitas vezes carros somente em estar correndo.






Os poderes de Mercer estão longes de acabar por ai. Você é capaz de conseguir muitas coisas com o caos. Por exemplo, ao destruir inimigos, você recebe pontos, que podem ser trocados em habilidades. Algumas habilidades são completamente novas - como sair "ganchos" do chão matando todo mundo - ou simplesmente upgrades, como por exemplo, melhorar a força do pulo, ou aumentar ainda mais a velocidade. Alem disso, itens muito poderosos podem substituir o punho "fraco" de Mercer, como por exemplo, punhos mais fortes ou simplesmente uma espada.

O sistema de combate do jogo é realmente interessante. O jogo lhe permite agarrar itens e arremessa-los nos adversários, como por exemplo carros ou itens variados em cima dos prédios, como também, lhe é permitido matar um oficial de policia ou até um soldado do exercito e lhe roubar a arma. Pra diferenciar, o jogo também lhe permite consumir os adversarios ou simplesmente as pessoas que passam pelas ruas. Com o consumo, você reave um pouco de "life" e pode se transformar neste personagem. Na maioria dos casos, você pode se infiltrar em bases militares tranquilamente, se tiver consumido anteriormente um soldado e se transformar nele.

Alguns consumos são obrigatórios para seguir na campanha, outros, são para você entender um pouco da história, já que consumindo tal personagem, as lembranças dele acaba sendo passadas pra você. Em alguns casos também, você pode consumir um piloto de um helicóptero para aprender a manobrar a aeronave, por exemplo, ou simplesmente, consumir um qualquer com o intuito de burlar a policia, já que ao se esconder por uns segundos antes deles o acharem, é possível fazer "a troca" de aparência, despistando por completo os policiais ou as unidades militares em questão.


A jogabilidade também não desaponta! 

Aparentemente, um jogo onde o jogador quase não tem limites parece ter uma jogabilidade bem complexa, quando na realidade, não é. Apesar dos inumeros poderes e formas de fazer as coisas, o jogo é intuitivo e simples quando o assunto é usufruir os pontos forte de seu personagem. Nada de combinações extremas entre os botões, tudo é bem simples e intuitivo. Resumindo, com poucos botões o jogador é capaz de jogar este game tranquilamente, então, não se preocupe, nada que fuja dos padrões do teclado do computador.

 Vamos dar um passeio? 

Algo realmente que qualquer jogador procura num jogo livre é as possibilidades de locomoção... Infelizmente, a variedade é muito limitada em Prototype, você não é capaz de usar carros para civís, você pode usar somente veiculos militares, como helicópteros e e tanques de combates. O maximo que você consegue fazer com um carro de passeio é arremessa-lo em alguem ou alguma coisa, já que um contato interno é impossível.






 Fisica interessante...

A fisica do jogo em muitos casos, foi criada com detalhes. Alem de poder arremessar itens contra outros, você é capaz de arrancar quase que qualquer coisa sólida do chão com um veiculo terrestre forte, postes e até arvores não ficam no seu caminho, como também, pessoas. Arremessar pessoas contras outras é uma possibilidade que pode ser aproveitada em alguns casos. Algo também que chama atenção quanto a física, é o fato de tudo ter efeito no ambiente. Em jogos como o proprio GTA, o cano de um tanque pode passar no meio de um prédio como se não fosse nada, em Prototype, isso não existe. Se o veiculo estiver na rua e  o cano num prédio, seu veiculo irá reagir com o fato de algo dele estar entrando em contato com outro, como também as garras de Mercer, que também tem tal realidade.


Ela é notada também nos prédios, já que quando o jogador sobe o mesmo desafiando a gravidade, se o prédio tiver janelas, as mesmas se quebram quando o jogador passa. Grandes impactos com o chão também geram efeitos na fisica, muita vezes, se faz uma grande cratera no chão, graças a delicadeza de Mercer ao descer de um prédio ao seu modo.

Inteligência artificial...

A inteligência artificial do game muitas vezes chama atenção pela inteligencia e também pela burrice. Quando você começa um tumulto, alguns oficiais resolvem se comunicar com a força de operações especiais, que realmente é desafiadora se não for abatida ou driblada. Com seus helicópteros, é realmente desafiador muitas vezes sair vivo. Em alguns momentos, soldados do exercitos munidos com a força de operações especiais somados ainda com os inimigos biológicos geram grandes problemas ao jogador, realmente é bastante desafiador. Porem, em uma cidade onde atos biológicos são observados com atenção, você é ignorado se correr em alta velocidade, você só será incomodado quando matar alguém ou for correr pela cidade destruindo tudo e todos, subir um prédio correndo na horizontal ou correr mais rápido que um carro aparentemente são itens normais na cidade.


Quanto aos efeitos sonoros do game, são relativamente bons e distintos. Frente a um caos absoluto, sendo perseguido pela força de operações especiais, caçadores e recebendo misséis de soldados e ainda tiros de helicópteros, são feitos com extremas qualidade e o jogador se sente realmente naquele caos, já que você pode analisar um por um o som, e ver que realmente são muitos bons e bem detalhados, o problema é que nesse caso, você tem uma série de preocupações, e provavelmente não pensará no que está ouvindo, a não ser que não esteja com vontade de sair vivo dessa empreitada. Os sons das vidraças se estilhaçando ou de você fazendo uma marca pessoal no asfalto ao pular de um prédio são interessantes também.

E o gráfico?


Bom, com tantas caracteriscas e novidades, o gráfico realmente fica um pouco em segundo plano. Apesar de não fazer feio, o jogo não possui gráficos de ultima geração ou capazes de brigar com os jogos que chamam atenção neste quesito, o jogo passa longe de comparações com Mirror's Edge, Gears of War 2 ou o até então exclusivo para computador, Crysis. Os gráficos não fazem feio, porem, não são tão belos ou polidos, aparentemente, a Activision deixou claro para os jogadores que a diversão e a liberdade eram os prodigios deste game, e não os gráficos, algo que realmente eles fizeram bem.

Apesar dos gráficos não serem de ultima geração, o jogo tem uma consistência muito grande quanto a taxa de quadros por segundos. Durante a analise, foi impossível computar um local in game onde a taxa de quadros por segundo caia, o jogo sempre mantinha sua estabilidade mediante a grandes mudanças, como explosões simultaneas em perseguições mais complicadas. Mesmo não caprixando muito em gráficos, trataram de trabalhar bem trabalhado o fator gráfico, que mesmo não sendo tão belo, não faz feio e consegue ter excelente desempenho.

Com certeza, Prototype é um game que você realmente tem que jogar em qualquer plataforma e infelizmente, o unico para PC e X360. Se você tiver um PS3, vale o conselho de dar uma olhada também em seu concorrente direto para o PS3, porem em todos os quesitos, Prototype é um jogo que qualquer jogador detendo um console de ultima geração deveria ter em sua prateleira.

Clique para ampliar:















Nenhum comentário:

Postar um comentário