Call of Duty: Black Ops

Treyarch faz bonito, mas não consegue inovar

Call of Duty: Black Ops Analise: Call of Duty: Black Ops

FIFA 11

Muita comparação e pouca superação

Analise: FIFA 11 Analise: FIFA 11

Need for Speed: Hot Pursuit

Need For Speed: Hot Pursuit praticamente repete o jogo, mas não o sucesso

Analise: Need for Speed: Hot Pursuit Titulo da Imagem

Analise: Need For Speed: Hot Pursuit

 

Genero: Corrida

Distribuidora: Electronis Arts

Desenvolvedora: Criterion Games

Lançamento: 16 de Novembro de 2010

Também disponivel para: PS3 – X360

Jogo a superar: Série Underground e Most Wanted

Status: Não superado

 

  Sem Título-1

Clique na imagem para ampliar

 

As corridas de rua estão de volta…

Need for Speed, é uma franquia antiga pra quem curte o genero, a mesma, nasceu a mais de uma decada atrás, com lançamentos para 3DO e posteriormente para PS1. Mas foi no PlayStation 2 que a franquia ganhou milhares de fãs, graças a suas versões “Undergound” e “Most Wanted”. Ambos os jogos, até hoje, são considerados imbativeis pelos fãs. Depois de “Carbon”, Need for Speed foi se alterando radicalmente, passou pra corridas em circuito [versão “Pro Street] e depois retornou as pistas de rua com Undercover, mas não obteve sucesso.

Dos lançamentos que se sucederam, Need For Speed: Shift foi o que melhor obteve lucros, que assim como Pro Street, releva corridas “sérias” e mais profissionais, sem policias e derivados. Porem, para 2010, foi lançado Need For Speed: Hot Pursuit… Sim, o nome soa familiar, mas infelizmente, não é só isso que é familiar no titulo…

 

 

Aspectos tecnicos

Não há como negar, os graficos de Need For Speed: Hot Porsuit estão realmente muito bons. O trabalho com essa parte é visivelmente bom, não só a parte grafica nos carros, mas também nas pistas, nos ambientes… Tanto os reflexos, tanto as texturas, quanto os reflexos, estão bonitos de se ver. O trabalho realizado com os carros é de se saltar os olhos, os possantes estão maravilhosamente bem trabalhados, com reflexos, enfim, não há o que reclamar.

Claro, que pra tamanho cuidado com os graficos, não justifica “escorregar” na parte sonora do jogo, e felizmente, não o fez. Os sons dos carros, das pancadas e dos capotamentos estão com excelente qualidade, nessa parte, a Criterion Games fez e fez bem feito.

A jogabilidade do game é bem interessante, pela primeira vez na série, ser um “dentro da lei” conta com adições na jogabilidade nunca vistas na série, o que quer dizer que você pode agora, controlar a policia e fazer estrago com os corredores. Tapete de pregos, Pulso Eletromagnetico, enfim, tudo isso pode ser usado por você para atrapalhar os corredores. Vale lembrar que alguns desses recursos estão disponiveis também para os corredores.

Falando em jogabilidade….

A jogabilidade de Need For Speed: Hot Pursuit é distinta em ambos os lados em questão jogabilidade, mas o sistema de evolução é basicamente o mesmo. Você pode escolher a qualquer momento no menu principal de que lado quer jogar, ou seja, no mapa, aparecerão ambas as carreiras, você pode iniciar em uma, ir para outra, avançar nesta, voltar para a primeira, enfim…

O avanço funciona similar a “Split Second”, você vai correndo e vai acumulando pontos, conseguidos de formas diferentes, consegue pontos por vitória, e no fim, todos os seus pontos são acumulados e jogados na sua conta pessoal, com o passar das corridas e do acumulo de pontos, você vai conseguindo novos carros e novas “habilidades”, esse é basicamente o sistema de progresso do jogo.

Conforme você avança no sistema de niveis, as perseguições vão ficando mais dificeis e com carros melhores. Vale lembrar que os niveis são individuais, ou seja, você pode ser nivel 3 na carreira como corredor ilegal e nivel 15 como policial, ambos não são somados. Apesar de ser Need For Speed, não espere fazer curvas a 200km, a direção aqui é “pesada”, e mesmo passando longe de ser um jogo de simulação, você vai precisar de uma certa técnica pra não estraçalhar o carro… Vale lembrar que o carro tem sistema de danos, porem, eles não te tiram da corrida, só te “suspendem” por alguns segundos, e você volta a correr, mas claro, com uma certa desvantagem dos adversarios…

 

Já vi isso antes…

Como dito resumidamente, isso não é impressão sua. Se você é fã da série, jogou até titulos do saudoso PlayStation 1, vai notar certas “similaridades” com os mesmos.

Antes de mais nada: Os circuitos são fechados! Nada de continuar aquela perseguição incrivel que começou no inicio da corrida, ao passar a linha de chegada, acabou tudo, é como se fosse um jogo de corrida “convencional”, na qual chegar ao fim e ganhar – ou não – quer dizer necessariamente fim da corrida. Quem jogou os melhores titulos da série, sabe que terminar a corrida em primeiro lugar é apenas um dos objetivos e marca apenas o principio da diversão, já que em jogos tops da série anteriores, você tinha ainda que se evadir, ação que concentrava as vezes, mais diversão do que a propria corrida, e, eles removeram. Sim, você não leu errado, pode ter um monte de carros de perseguindo, ganhou? Chegou em segundo? Terceiro? Volte ao menu principal, tente novamente ou vá outra corrida.

Nada do seu jeito…

Infelizmente, a liberdade não foi a unica coisa que tiraram da série. Conseguiram tirar também a personalização, tão classica e basica numa série que visa corrida de rua. Até em Need For Speed: Shift, que é baseado em carros de circuito, tinha personalizações, mas aqui? Não, aqui não tem… A unica coisa que você pode fazer pra “personalizar” seu carro é alterar a cor dele, por que de resto? Fica nisso mesmo. Então, esqueça adesivos, esqueça varios estilos de pinturas, esqueça opções de tunar seu carro, por que, você não vai encontrar aqui…

Bom, baseando-se no sistema fraco de progressão de história – Convenhamos, é mutua a seguinte opinião: O sistema de moeda é bem melhor que o sistema de pontos em Need for Speed– seria impossivel mesmo haver upgrades no carro ou coisa do genero.  Em alguns jogos, até de genero similar, o sistema de pontos se aplicam, como o próprio Split/Second, que nada mais era um seriado que nas conquistas de pontos, te davam novos carros, porem, isso não se aplicaria aqui…

E mais uma vez, a EA “tocou” no seu jogo, fazendo alterações que muitos dos fãs não vão gostar… Tiraram a nossa liberdade, tiraram nossa personalização e ainda tiraram alguns aspectos da IA, já que, aparentemente, muitos dos atalhos das pistas estão disponiveis apenas para você, o que é ridiculo… Mesmo com os belos graficos, mesmo com o belo sistema de audio, e até mesmo com os belos carros disponiveis, nada justifica tirar dois dos fatores mais relevantes da série.

E afinal, vale a pena?

Ao meu entender, isso depende. Se você, tem Need for Speed: Most Wanted, ou o Carbon, ou o Undergound 2 como "tops” da franquia, Hot Pursuit vai ser um banho de agua fria, você não encontrará nenhum dos grandes aspectos destes jogos aqui. Se você espera um “remake” de versões passadas, você vai adorar o game.

Finalizando, os aspectos tecnicos do jogo são muito bons – apesar que os de Shift contam com incrimentações que não existem em Hot Porsuit – mas, dois dois grandes pilares da franquia foram removidos… Carros incriveis? Sim, eles estão no jogo, porem, todo o sistema de personalização, liberdade para correr a cidade, upgrades, foram removidos… Se vale ou não vale a pena? Dessa vez, a escolha será sua...

Sem título

Clique na imagem para ampliar

3 comentários:

  1. Eu sinceramente, acho esse Hot Pursuit, melhor que todos os antecessores, Underground 2, Shift, Most Wanted e os demais... Esse jogo é muito bom, em relação a personalização, eu não sinto falta, mais valeu pelo posto, blog muito bom

    ResponderExcluir
  2. na verdade tem o modo livre sim mas é apenas opcional , gostei da analise e do jogo tambem.

    ResponderExcluir
  3. Quem disse que esse jogo tem bons gráficos está maluco! Muito, mas muito inferiores a NFS Shift, O problema são os detalhes desse gráfico... Tem boas texturas e sombras sim, mas é tudo serrilhado e com framerate completamente inconstante, isso matou o jogo. Os pais de Burnout me decepcionaram, sempre fizeram milagres em consoles como o PS2 e mesmo num PC parrudo com uma 4870 (bruta!!!!) o jogo chora para rodar. Nem a própria EA foi capaz de uma cagada dessas!

    ResponderExcluir