Call of Duty: Black Ops

Treyarch faz bonito, mas não consegue inovar

Call of Duty: Black Ops Analise: Call of Duty: Black Ops

FIFA 11

Muita comparação e pouca superação

Analise: FIFA 11 Analise: FIFA 11

Need for Speed: Hot Pursuit

Need For Speed: Hot Pursuit praticamente repete o jogo, mas não o sucesso

Analise: Need for Speed: Hot Pursuit Titulo da Imagem

Preview: Deus Ex: Human Revolution - PC

Preview: Deus Ex: Human Revolution

Produção e distribuição: Square Enix

Também disponivel para: X360 e PS3

Genero: RPG/Ação/Stealth

Versão base para preview: Beta do jogo



Um conceito diferente... 

Hoje em dia, em jogos de ação no PC, o jogo se resume a um objetivo e normalmente a apenas uma forma de completa-lo; Você precisa invadir uma companhia conceituada afim de lhe roubar uma informação ou algum objeto critico que pode destruir o mundo, como você faz isso? Se o jogo for de ação, basta simplesmente matar todo mundo e ir lá pegar o dispositivo, se o jogo for Stealth, você terá que realizar a tarefa sem ser notado, se for um tipo de RPG, você provavelmente conseguirá usando a boa e velha conversa;

Apesar de existir todas essas possibilidades, todos sabemos que não há escolha a se fazer, se você jogar Call of Duty e querer executar inimigos silenciosamente, não durará muito certo, já que o proposito do jogo não é  rastejar por ai, é meter bala; Se for da linha Splinter Cell, você estará ciente que se for detectado, há uma grande chance de ser morto... Mas o que aconteceria se você pudesse simplesmente escolher?

Com certeza em algum momento, jogando um jogo como Modern Warfare, você se perguntou "mas como me viram?", é simples, o jogo é criado para você encontrar resistencia, logo, você não pode não ser detectado pois vai contra o proposito do jogo, é exatamente essa "regra" que Deus Ex vem bater de frente; Imagina um jogo na qual, em toda a campanha, você pode escolher o que fazer quando quer? Usar a melhor estrategia? Ser furtivo quando quiser e ser explosivo quando preferir? Pois bem, Deus Ex te da essa possibilidade; Mas enfim, como será que ficou? Ficou satisfatório? Não ficou? Pois bem, é o que você verá a partir de agora:

A escolha sempre é sua

Assim como prometido pela desenvolvedora, você pode, a qualquer momento, parar de se esconder e descer bala nos inimigos, ou ainda, fazer totalmente o inverso. A primeira missão do jogo funciona como um grande tutorial, onde não havia ataque corpo a corpo, então, ela serve apenas para te entreter com uma bela história, e te apresentar alguns comandos basicos do jogo...

A segunda missão - primeira oficial - já é mais livre; Lá sim, você é capaz de escolher entre atirar em todo mundo ou ir matando os inimigos de um em um. Antes do inicio da missão, lhe é perguntado como você quer abordar a missão em questão, vale lembrar que a abordagem se refere as armas que você vai portar, e não ao seu estilo, lhe é perguntado coisas como se você quer ou não ser letal, e, se você prefere armas de curto ou longo alcance;

Iniciou a missão? Lembre-se: O controle é seu, o que não quer dizer que a sua escolha seja a melhor; Assim como deveria ser, você pode ter sérios problemas em entrar numa sala com uns 5 inimigos e querer matar todos e sair vivo de lá, é muito mais provavel você terminar no chão do que os inimigos, então, mesmo a escolha sempre sendo sua, Adam não é um deus e tem que usar a boa e velha estrategia;

Aspectos tecnicos

Confesso que algumas imagens mostradas pela produtora quase chegaram a desanimar, falando da parte grafica do game, mas fique tranquilo, Deus Ex é um belo jogo graficamente falando, objetos bem desenhados e nitidos estão em todos os lugares, os personagens também são bem detalhados, inclusive você, com toda sua parafernalha. Os aspectos sonoros também são bons, reforçando a imersão do game;

Perspectivas de jogo

Talvez, ao acompanhar os gameplays da divulgação, provavelmente veio a sua cabeça "bom, devia ser em terceira pessoa", pode acreditar, essa afirmação esta totalmente equivocada. Sabe quando você olha para um local e vê um monte de inimigos e pensa "Vou passar na surdina e ninguém me verá"? Pois bem, nos momentos mais oportunos, pimba, o jogo fica em terceira pessoa. Então, ao ficar em cobertura ou resolver matar/derrubar um inimigo, o jogo ficará em terceira pessoa para você ver a cena. Então, passar pelos inimigos acabará se tornando mais facil do que você imaginava;

O conceito FPS é bem aplicado e admirado principalmente nos jogos de ação/tiro, mas é algo não muito usado no Stealth. Porem, com certeza é uma experiencia muito boa e real, contando a sua perspectiva. Se aproximar do inimigo se torna bem mais facil, já que você sabe exatamente onde esta e onde o inimigo está, fica mais facil para ver seus movimentos corporais - para tentar antecipar algum possivel movimento - e também para executa-lo.

Modos definidos

Durante a preview, um ponto era bastante observado: Temos esses dois gêneros bem colocados no game ou apenas um modo stealth/ação generico? Te deram a liberdade de escolha apenas para enfeitar o game mas priorizaram algum desses? Felizmente, a resposta é não. Não existe um modo que seja prioridade e realmente toda e qualquer escolha é sua. Isso não quer dizer que sua escolha seja indiferente, em alguns momentos durante nosso teste, ser sorrateiro simplesmente era uma má ideia, então, bastava entrar metendo bala em todo mundo, como também em outros momentos, tínhamos que eliminar alguns inimigos de uma area para facilitar nossa vida.

A grande vantagem é que não há um "erro critico na missão" se você for detectado quando não queria, se você se cansar de ser paciente e não estiver afim de esperar o inimigo se distrair, simplesmente meta bala na cara dele, sim, assim, simples e facil. É claro que terá consequencias, mas a grande sacada é: A escolha é sua. O modo Stealt é completo, você pode matar inimigos, apenas deixa-los inconcientes, esconder os corpos, vasculha-lhos, você pode jogar alguma coisa no chão e chamar a atenção deles, enfim, é um modo bem completo;

Se você preferir partir pra porrada também não está mau acompanhado, mas lembre-se, ao contrario de muitos jogos, você dificilmente será capaz de entrar numa sala cheia de inimigos, matar todo mundo e sair dando risada, mesmo usando o modo mais agressivo para cumprir a missão, Adam não é nenhum ser de outro mundo e acabá morrendo, então, saiba exatamente o que fazer e quando fazer para não falhar na missão.

Durante a campanha, o jogador coleta alguns creditos, que possivelmente serão uteis para serem gastos com melhorias para toda a parafernália que você carrega, isso com certeza pode ser muito interessante, visando principalmente algumas coisas, que veremos a seguir;

Pontas soltas

Bem, como já era de se esperar, nada é perfeito, e um jogo, pior ainda. Apesar de estar bem desenvolvido, ao jogo possui ainda algumas falhas.

O primeiro contato, pode ser o tanto quanto estranho para a maioria dos usuarios de PCs. Parte do mapa de teclas padrão do jogo é alterado ou adicionado mais itens, ou seja, nos seus primeiros passos, você vai acabar um pouco confuso quanto ao que tecla faz o que, já que parte delas, ou fazem duas coisas diferentes, ou estão fora do padrão, para beneficiar algo da jogabilidade.

É claro varias opções adicionais no jogo não é algo ruim, mas a principio, pode não ser tão amigavel para iniciantes, já que uma tecla, pressionada rapidamente e a mesma tecla, sendo mantida pressionada, tem  dois efeitos totalmente diferentes num local.

Modo bom, mas...

Apesar do já comentado bom e velho modo Stealth, encontramos algo um tanto quanto "estranho" quanto a jogabilidade do mesmo. Como é praxe em jogos deste genero, você se aproxima do inimigo pelas costas e efetua a morte silenciosa, até ai tudo bem, a não ser pelo momento em que, nos aproximamos de um inimigo, tentamos efetuar a morte discreta e recebemos uma informação de bateria fraca na tela, fui obrigado a recuar para não ser descoberto.

Então, ao que o jogo deixou a crer, você não pode efetuar muitas mortes silenciosas, já que elas gastam bateria da biotecnologia. Apesar de ataques interessantes usando a mesma, no caso de ausencia de bateria, poderia apenas ter uma morte "comum", ao inves de dizer a você que não pode efetuar o ataque por que a bateria acabou.

Espectativas... O que esperar?

Claro, a versão na qual efetuamos o teste é uma versão beta que provavelmente tende a ter varios itens modificados. Vale lembra que o jogo lança em mais de dois meses e que há tempo de se consertar alguns dos problemas do jogo, acreditamos que irão se concentrar em coisas como travamentos e bugs que podem vir a acontecer do que na jogabilidade em si que já está muito boa, Mas, não perdemos por esperar;

Particularmente, o jogo não deixou nenhum clima de "devia ter feito mais", o jogo é belo e faz bem ao que nos foi prometido; Infelizmente, não conseguimos testar a terceira forma de realizar uma missão, que seria utilizando os dialogos, já que, no nosso tempo de jogo, preferimos abordar itens que mais serão usados pelos jogadores, já que convenhamos, a ação faz parte do game!

Agora, é só esperar, Deus Ex Human Revolutin, que sairá para PC, X360 e PS3 entre os dias 23 e 26 de Agosto;

Nenhum comentário:

Postar um comentário